Nossa História

Como Começamos

Ainda na década de 90, durante o curso de psicologia na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), as futuras fundadoras do Grupo Gradual se identificaram com a visão de Homem e de mundo contida na abordagem comportamental, uma das vertentes e opção de ciência e aplicação na Psicologia.
Na época, além de frequentarem as aulas regulares, trabalhavam em projetos de iniciação científica e monitoria, com o objetivo de aprimorar o conhecimento teórico em Análise do Comportamento. Conjuntamente, Cintia Guilhardi, Claudia Romano e Leila Bagaiolo se interessaram pelo trabalho científico e aplicado a crianças com desenvolvimento atípico a partir desta abordagem da psicologia, já muito desenvolvida nos Estados Unidos e Canadá. Embora nos EUA o trabalho da Análise do Comportamento com desenvolvimento atípico seja amplamente reconhecido desde a década de 70 – em alguns estados americanos, as famílias recebem fomento do governo para tratar seus filhos com essa abordagem –, no Brasil era um campo novo de atuação.
Com a aproximação da finalização do curso de Psicologia, em 2000, as três colegas de universidade estavam motivadas pela chance de implantar um tratamento inovador e de qualidade reconhecido internacionalmente. Além disso, havia a possibilidade de continuar os estudos iniciados no curso e desenvolver novas pesquisas na área. Assim, as três fizeram o trabalho clínico em conjunto e os respectivos mestrados, também na PUC-SP.
As decorrências naturais foram parcerias com médicos, participações em cursos, congressos e especializações na área por meio de Mestrados e Doutorados.